Hum… nada de novo nestes últimos 5 dias. Andei, quero dizer, andei muito, com a mesma vista: montanhas, lagos e florestas. Nadei todos os dias, estou sempre com fome, o acampamento é no meio das árvores ou com uma vista como esta. Durante o dia ando sozinho, quase sempre, das 5 noites 4 acampei com pessoal. Chego ao acampamento pelas 5, fico a descansar fora da tenda, depois vai chegando pessoal, o Behemoth é sempre um deles, falamos um bocado e vai tudo escrever o seu diário e dormir.
No dia 23 cheguei ao fim de Washington, apanhei boleia para uma vila perto para comprar sapatos, os meus já estavam estragados e a criar dores, depois apanhei boleia de volta, comi quilos de cerejas, a senhora ofereceu uma dose extra e pêssegos. No dia seguinte apanhei boleia para Stevenson e tive o primeiro dia sem andar, dormi num motel e tive o meu terceiro banho em 25 dias. O quarto do Behemoth tinha cozinha, cozinhei brócolos, salada, ovos cozidos e pão, paraíso! No dia 25 fui aos correios enviei 3 pacotes com 3 dias de comida cada, para locais estratégicos em Oregon. Depois andei, fui do nível do mar aos mais de 1000 metros, andei mais e acampei ao pé de um lago. Nadei e pensei andar mais, mas fiquei uma hora sentado numa pedra a apanhar sol e fiquei por ali ao pé de 3 senhoras de Oregon que foram caminhar alguns dias. Elas ensinaram-me a apanhar vários frutos, os que não são venenosos.

Dia 21 (45,5 km) – Acampei com a vista para o Monte Hood;
Dia 22 (39,1 km) – Foi só andar e nadar;
Dia 23 (30,6 km) – Adeus Washington;
Dia 24 (0 km) – Todo o dia na cama e a comer bem, brócolos com salada, ovo e pão;
Dia 25 (26,1 km) – Olá Oregon.

– Eu estou a viajar com a  Iati Seguros, quem adquirir um seguro através de um link do meu blog vai ter um desconto de 5%: 

– Todas as fotos neste artigo foram tiradas com o Samsung Galaxy S10.