Depois de muitas horas cheias de curvas e contra curvas num mini autocarro onde eu era o único estrangeiro cheguei a uma pequena vila vietnamita que faz fronteira com a China e que não fica nada longe do Laos. Queria vida simples, numa vila pequena, sem barulho e monumentos históricos, onde as pessoas viviam a sua vida tranquilas sem pensar no mundo que os rodeia. Queria e tive, até tive mais, tive esta cara tão bonita a olhar para mim no mercado de domingo que recebia pessoas de todas as vilas em volta.


Olhei para o lado e lá estavam estes olhos que agarraram os meus e por segundos não os soltaram, pouco depois mostro a câmara fotográfica, e faço sinal de forma a tentar receber permissão para fotografá-la, sem sucesso, ela vira costas e segue caminho, eu continuo pelo mercado a fotografar e a observar a vida em volta até aos meus olhos ficarem presos naquele olhar outra vez, sorrio e levanto a câmara, volto a tentar ter a tal permissão para disparar a máquina, não virou as costas, recebi isso como um sim e fotografei, dei um passo em frente e tirei outra fotografia, já encostado a ela mostro-lhe as fotografias, o sorriso envergonhado que saiu daquela cara não tem preço, nem uma palavra saiu das nossas bocas mas partilhamos tanto nesse momento. Tão bom!!!

As pessoas são lindas.