Namaste!

No passado sábado, dia 19 de Novembro, chegou ao fim mais uma aventura pela Índia.

Nove pessoas, todas elas tão diferentes e tão iguais onde entre eles um casal em lua de mel, sim!! Lua de mel. Decidiram ir viver a Índia com a fantástica The Wanderlust e o qualquer coisa de brutal, Fábio Inácio (adoro este gajo). Resultado?! Foi de doidos! Mesmo!!

Tudo começou em Varanasi uma das cidades mais antigas e religiosas do mundo. A primeira a chegar foi a Sílvia, veio sozinha, nem a mala a acompanhou, preferiu ser independente e ficar por Deli. Logo de seguida a Daniela, a Júlia, o Paulo, o Ricardo e o Tiago. Juntos, fomos andar um pouco pelas margens do ganga e provar alguma da comida de rua que serviu como entrada para o jantar. No caso do Tiago foi refeição completa, ficou tão fascinado com os sabores, picante e textura que não parou de comer. Já de noite, mas ainda bem a tempo de se juntarem para o primeiro jantar Indiano de nome tali, chegaram os pombinhos Isabel & João acompanhados pela Carla.

Grupo completo.

A partir daqui foi sempre a abrir. Aprender, partilhar, conhecer, sentir… viver!

Aula de Yoga para relaxar junto ao ganges (foto), assistir a cremações, cerimónias, ver templos andar pelas ruas, tuk-tuk, mais comida e comboio até Deli.

Em Deli mais comida, mais tuk-tuk, mesquitas e nós sem dinheiro, a Índia sem dinheiro. Caos total entre os turistas, entre os indianos.

As notas de 500 e 1000 rupias saíram de circulação de um dia para o outro, sem aviso prévio. Os bancos fecharam, os multibancos sem dinheiro, ninguém aceita o nosso dinheiro, quem aceita pede o dobro ou mais como desculpa por não saberem se podem usar essas notas no futuro. Dois dias depois os bancos abrem, as filas são gigantes, a burocracia para trocar o dinheiro ainda maior, a confusão é total. O governo pôs em circulação notas de 2000 rupias e não renovou as de 1000 e 500, talvez no futuro o faça. Por dia só se pode trocar 4000 de dinheiro antigo para novo e no multibanco é impossível de levantar mais de 2500.

A verdade é que é um marco histórico na Índia e todas as pessoas com quem falei estão felizes com a decisão do governo. Para ser sincero partilho da mesma opinião.

Ou seja, a Índia num dia normal já é de doidos, assim, sem dinheiro, é de doidos a dobrar.

Não ficamos parados, nada disso, era o que mais faltava. De táxi de Deli para Agra com paragem por Vrindavan, terra onde a Deusa Krishna passou a sua infância. Bem cedo dentro do Taj Mahal e depois do pequeno almoço pelo Forte de Agra, passeio pelas ruas e autocarro para Jaipur, cidade Rosa, ao que parece. Alguns minutos, coisa pouca no banco para trocar dinheiro e fomos até Amber visitar o Forte com o mesmo nome, em Jaipur foi compras, a Isabel e a Júlia com os olhos a brilhar, pelo meio um Indiano a falar brasileiro que começou a dizer que nos queria ajudar e acabou a insultar por não irmos comprar nada na sua loja. Jaisalmer, mais uma paragem, a cidade dourada que fica no deserto Thar, descansar, passear, repor energias, dormir no deserto. Um chai(chá indiano) para cada um, jantar cozinhado sem filtros e sumo que a Daniela trouxe de Portugal. Fim da noite a fazer batalhas de canto entre Portugal e a Índia. Ninguém ganhou, todos ganharam.

Jodhpur é a cidade azul, prometo que a próxima não tem cor, foi mais do mesmo, mas o mesmo na Índia tem outro significado. Do Rajastão para Goa. Da Índia indiana, para a Índia portuguesa. Cidade de Pangim, Bairro das Fontainhas. Dia de praia, visitas ao forte e igrejas, compras, cada um a explorar por si, jantar final ao som do nosso fado…

Um grande abraço para o Senhor Francisco, o taxista mais fixe de Goa e que está sempre ao dispor para me ajudar.

Só posso agradecer por ter a oportunidade de viajar e conhecer pessoas lindas. Desde 2010 que este estilo de vida tem estado a crescer e para o ano coisas novas vão acontecer.

Quem quiser viajar comigo em 2017 tem duas datas disponíveis AQUI.

Quem quiser comprar o meu livro: Walking Around, que conta a história em palavras e imagens de uma aventura de 20 meses pelo mundo, pode faze-lo em qualquer livraria do país, ou melhor, pelo mesmo preço, pode encomendar por e-mail e receber em casa o livro assinado e com dedicatória personalizada. O valor é de 25€.

Se vos parecer interessante, o blog, livro, fotografias, etc… Sejam livres para partilhar com os vossos contactos, vou ficar feliz por chegar a mais pessoas. 😉

Beijos & Abraços!